Maternidade

Todo mundo precisa saber sobre a vida de seus filhos?

WhatsApp Image 2017-05-12 at 09.58.30.jpeg

Tenho orgulho de meus filhos, por isso não consigo me conter e acabo sempre contando cada dia deles como parte de um livro que estou ajudando a escrever.

As pessoas que estão no meu círculo de amizade ou que possuem qualquer convívio comigo, conhecem muito bem meus filhos, isso porque, a fama deles os precede (rs). Em especial a Laurinha (e somente porque o Miguel ainda é muito pequenininho e não faz nada exceto rir, chorar, comer e dormir), é famosa por cada frase que ela me fala nos momentos mais inesperados possíveis, seus vídeos, sua comunicação alegre e inovadora. No meu trabalho, algumas de suas pérolas já viraram até memes (“eu fico impressionante com você” ou “bota na fogueira” já são parte de nosso vocabulário rs).

Claro que entendo que existem alguns riscos da exposição de seus filhos (principalmente nas redes sociais), não só entendo, como considero isso. Nas redes sociais deve-se compartilhar aquilo que qualquer um pode saber e que certamente não afetará em nada a imagem dos envolvidos. Mas calma…não precisam também achar que gritar seu orgulho vai comprometer a segurança ou saúde mental de seus filhos. Isso é um composto de tudo o que você faz e do orgulho que você tem dessas ações, postar só por postar é irrelevante.

Antes de ser mãe eu sempre me perguntava como seriam meus filhos. Eu pensava se  seriam uma miniatura de mim (e a Laurinha é), se iam sonhar como eu, perseguir minhas convicções, se iam querer se parecer comigo, se desejariam ouvir meus conselhos ou aprender coisas que eu pudesse ensinar, daí chegou a hora de viver esses momentos, como posso então não gritar ao mundo a cada expectativa atingida?

A quem diga que isso pode ser exposição de meus filhos, mas para mim, é a prova de meu orgulho por eles. Eu não crio sobre eles expectativas elevadas. Não quero que sejam pequenos adultos, quero que sejam felizes. Mas mesmo quando a arte aprontada é uma daquelas que me faz respirar fundo (como pintar o chão de giz de cera ou quase estrangular o irmão tentando colocar a roupa do cebolinha nele), sinto orgulho de vê-los crescer e aprender, e até mesmo de arriscarem uma palmada em uma aventura bem ou mal sucedida.

Na minha visão, é importante não colocar peso de responsabilidade exagerado sobre os filhos, não tentar realizar neles sonhos frustrados da vida dos pais. Mas o contrário disso não é não esperar nada ou não reconhecer nenhum êxito alcançado. Eu não vou criar meus filhos como se fossem troféus tampouco tento mostrar ao mundo que eles tem bons pais… não há nenhuma dessas intenções em meu coração. A própria bíblia já diz, no livro de Provérbios, que “o filho que ama a sabedoria é o orgulho do seu pai” e, é essa lição que quero ensinar quando mostro todo orgulho que tenho pelos momentos positivos.

A Laurinha está vivendo a fase dos 03 anos, a fase em que a criança passa a usar a oposição, a autoafirmação, o questionamento dos combinados, entre outras manifestações (assustadoras) em favor do que ela deseja. Eu não incentivo isso, entendo que é natural, que são novas descobertas e até a ousadia de me enfrentar faz parte dessa fase que ela precisa viver. Para esses momentos eu me posiciono firmemente, e ela entende os limites que foram dados (mesmo que tente ignorá-los logo em seguida), ela compreende o significado de “consequência”. Esses momentos eu posso não publicar, mas existem.

Eu gostaria de ter uma forma de mostrar a eles tudo o que viveram e como cada momento foi importante, receio que só minhas palavras possam não demonstrar o sentimento vivido e por isso tento desesperadamente registrar tudo e por isso, ai vão as histórias vividas, os vídeos gravados, as fotos compartilhadas. Cada momento desses que divido com o mundo, é uma testemunha que faço do orgulho que tenho por eles.

Tenho certeza de que, no futuro, eles vão olhar como eu era besta e tratava pequenas situações como se fossem as únicas crianças a viverem isso. Também vão olhar como eu era sábia, e mesmo nas situações mais tensas eu os disciplinava com amor e coerência.

Não… eu não vou parar de promover as pérolas da Laurinha (segundo Lair, eu deveria escrever um livro que com certeza ia arrasar com papis que se identificariam com minhas situações mais inusitadas possíveis). Eu não vou parar de tratar meus filhos como os mais inteligentes do mundo, os mais espertos, os mais lindos… porque para mim… eles são tudo isso!

Todo mundo precisa saber sobre a vida de seus filhos? Provavelmente NÃO! Mas eu quero contar, e daí??!!! Quem quiser viver comigo esses momentos fique a vontade, se não…paciência (rsrsr), mas eu faço questão de relembrar cada momentinho!

“A melhor maneira de ter bons filhos é fazê-los felizes!”

Se você curtiu esse texto, não deixe de compartilhar e de nos seguir! 🙂 

http://sobresersupermulher.com

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s