reflexão · Ser mulher

Seja um termostato e não um termômetro

termometro2

Oi meninas…

Pra começar aproveito para abrir um parêntese: Eu não pretendo te ensinar como agir, afinal, o que eu tenho feito aqui é dividir com vocês minhas experiências, minhas dúvidas, meus aprendizados e minhas ideias. Não me sinto expert para ensinar nada, mas tenho certeza de que juntas, podemos aprender muito com as experiências umas das outras, o que eu quero traduzir nas próximas linhas, é um pouco mais deste aprendizado para ajudar algumas outras super mulheres, afinal, já entendemos que ser super, é um super desafio (rs).

Os últimos dois dias foram uma loucura mas, hoje, quando separei um tempinho para dar uma olha no facebook vi vários depoimentos fantásticos que com certeza vão traduzir meu post de hoje.

Os depoimentos que recebi foram incríveis meninas, eles me levaram a refletir sobre uma decisão que precisamos tomar nas nossas vidas. Para ficar mais claro, deixem-me utilizar uma analogia muito conhecida, é a comparação entre o termômetro e o termostato.

Para não nos perdermos no propósito desta analogia, vou esclarecer a diferença básica entre os instrumentos ok?

Um termômetro é um instrumento que registra a temperatura, mas não pode alterá-la. O termômetro não tem poder de mudar o ambiente mas, é afetado por ele. Está sempre subindo ou descendo de acordo com a temperatura do ambiente em que está. Já o termostato, usado em aparelhos de ar condicionado e aquecedores, é um instrumento que tem a extraordinária capacidade de regular a temperatura ambiente impedindo-a de sofrer variação, ele regula a temperatura, ele afeta o ambiente onde está.

Com essa explicação, já deu para entender onde eu quero chegar? Nós super mulheres temos o desafio de sermos termostato, cabe a nós o papel de edificar o nosso lar, e sozinhas somos capazes de destruí-lo se agirmos de forma tola.

Vamos lá, o que as meninas tem dividido comigo, me fez pensar em dois tipos de mulheres. A primeira é aquela que se sente termômetro, ela vive sempre em altos e baixos, de acordo com as situações. Se por hora está alegre, motivada, envolvida, com pouco tempo apresenta-se triste, desmotivada e cabisbaixa. (Não, eu não chamaria de uma pessoa “bipolar”, não é tão sério). Estamos falando da mulher que não entendeu como tem o poder de influenciar o ambiente em que está.

Tenho certeza de que se eu listar algumas características, você reconhecerá alguém, porque, infelizmente, existem muitas dessas.  A mulher que não tem voz na sua casa porque tem medo de perder seu marido, a mulher que não educa seus filhos porque acha que se só orar será suficiente, a mulher que se deixa ser traída, desprezada e até agredida porque acha que esse é seu papel, aquela que permite o desrespeito… (Ei…tenha calma, não estou fazendo apologia ao feminismo, ainda defendo sim a submissão e a pureza que cabe a mulher). Resumindo, aquela que tem capacidade para influenciar o ambiente onde está mas prefere ser influenciada por ele.

Por outro lado, temos a mulher termostato. Ela não é uma feminista, ela é sábia. Influencia seu lar, seu trabalho, seu condomínio, ela regula a temperatura de onde está. Ela não vive de acordo com a inconstância das circunstâncias, mas, apesar delas, e acima delas.

Bom, como mulheres, somos muuuuuito complexas (rs), e temos que reconhecer, deve ser um desafio para o homem lidar com essa nossa complexidade rsrs. Eu não sei se tem uma receita para facilitar nossa vida, nossas decisões, nosso relacionamento com marido, filhos, colegas, chefe, enfim… eu não conheço nenhuma, mas, de uma coisa eu sei, se a mulher for termostato, ela influenciará o ambiente em que está, e então, poderá decidir o caminho que essas relações vão tomar .

Quero convidar você a pensar sobre isso. Será que você tem influenciado seu ambiente? Não dá para ficar só reclamando que seu marido não te ajuda, seus filhos não te respeitam, ninguém te dá ouvidos, e blá, blá, blá. Mas o que você tem feito?

Ah, também conheço algumas pessoas que vão ler esse post e pensar que estou incentivando as leitoras a serem autoritárias e encrenqueiras, mas não é isso, porém, se você não se respeita ou não se valoriza, como pode exigir isso de outras pessoas?

A mulher termômetro aceita tudo passivamente e vai se moldando ao ambiente onde está, e depois reclama por não estar satisfeita com este ambiente, ela senta no banco e fica apagada no meio da multidão, mas reclama por não ser vista ou valorizada entre muitos outros. Ela chega a reclamar pela valorização que outros têm, mas não está disposta a passar a ser termostato e agir.

A mulher termostato está disponível, ela afeta o ambiente, ela não passa abatido e não precisa do ambiente, ela não vive em função dele, mas o afeta.

Eu quero ser uma mulher termostato. É difícil, um exercício contínuo, mas eu quero assumir a premissa de que tenho que influenciar o ambiente onde eu esteja, tenho que agir, levantar e mostrar que sou uma super mulher. Ainda tenho muito a caminhar, ainda não cheguei lá, mas esse aprendizado com vocês tem me ajudado.

E ai… que tipo de mulher você quer ser? Vamos lá meninas… vamos altera a temperatura do ambiente… vamos esquentar tuuuuuuudo rs. Porque uma super mulher influencia o ambiente onde está.

images

Se você curtiu esse texto, não deixe de compartilhar e de nos seguir! 🙂 

http://sobresersupermulher.com

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s